English
 
Ecopontos
Roteiros
Fotos
Mapas
Áreas Protegidas
Avaliação
Sua sugestão
Outros Guias

Estação Ecológica Águas Emendadas
Bromélia. Clique para ampliarSob responsabilidade da Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH), do Governo do Distrito Federal, localiza-se a 50 km da rodoviária do Plano Piloto, a nordeste de Brasília, fazendo limite com Planaltina-GO (norte) e Planaltina-DF (sul) , com uma área de 10 mil 547 hectares. Dentro desta unidade de conservação nascem duas das principais bacias hidrográficas brasileiras: ao norte a bacia do Tocantins e, ao sul, a bacia do Paraná-Prata.
Esta região de particular interesse geográfico já havia sido visitada e descrita no Relatório da Comissão Exploradora do Planalto Central, coordenada por Luis Cruls (1892). Em 1966, Brasília sediou o XVII Congresso da Sociedade Botânica do Brasil e, na oportunidade, foi dado o nome ao lugar e aos córregos. Neste mesmo ano, o Prof. Ezechias P. Heringer, exercendo a função de Coordenador de Recursos Naturais, propôs a criação da Reserva. Finalmente em agosto de 1968, foi criada a Reserva Biológica de Águas Emendadas com 5000 hectares. Com o rápido crescimento de Brasília e com a necessidade de preservar locais históricos e a vegetação do Planalto Central, sua área dobrou de tamanho, incorporando a lagoa Mestre D´Armas ou Bonita. Mais tarde passou a ser denominada de Estação Ecológica de Águas Emendadas.
É uma unidade de conservação de proteção integral destinada à proteção do ambiente natural, realização de pesquisas básica e aplicada em ecologia e à educação conservacionista. Pelo seu excelente estado de conservação dos ecossistemas foi declarada em 1992 pela Unesco como uma das áreas que compõem a área nuclear da Reserva da Biosfera do Cerrado (fase I). A vegetação é de cerradão, cerrado stricto sensu, campo cerrado, capo sujo, campo limpo, mata de galeria alagada e não alagada, veredas, campo úmido e campo de murunduns.
Grande número de animais do cerrado se abriga e se alimenta em Águas Emendadas, podendo ainda encontrar alguns mamíferos ameaçados de extinção, como o lobo-guará, veado-campeiro, tatu-canastra e o tamanduá-bandeira. Muitas aves podem ser observadas com freqüência, como tucanos, papagaios, carcarás e seriemas.
Ocorre nessa região o extraordinário fenômeno hidrográfico: o nascimento de duas grandes bacias continentais, vertendo de um mesmo ponto. Em uma vereda de aproximadamente 6 km de extensão afloram dois córregos em lados opostos: o córrego Vereda Grande corre para o norte, encontra o rio Maranhão que vai alimentar o caudaloso rio Tocantins. O córrego Brejinho corre para o sul, engrossa o córrego Fumal e logo após, para o rio São Bartolomeu, depois para o Corumbá, desaguando no Paranaíba e formando então o rio Paraná.
Não é permitida visitação pública, apenas a permanência de pesquisadores e atividades de cunho educacional. Dispõe de prédios para a Administração (fiscalização e depósito de materiais) e Centro de Informação Ambiental (auditório) -Foi criado pela Lei Federal nº 6902/81 e decretos distritais 771/68, 6004/81 e 11137/88. (Texto de Mara Cristina Moscoso, geógrafa, ecologista).

Google

 

eco.tur.br © 2003 - SCRN 714/15 bl H entr 45 s 304 - Cep 70.761-680 - Brasília,DF- Brasil